Branca de Neve e os sete anões

branca_de_neve

 
A Branca de Neve e os Sete Anões

Os contos infantis são histórias repletas de ensinamentos iniciáticos que os adultos tentam transmitir de forma simples às crianças.

As histórias infantis transmitem conhecimento de forma subliminar às crianças, mas a sua verdadeira importância é o despertar dos pais que se dispõem a lê-las aos seus filhos.

Partindo desta perspectiva, também é de conhecimento comum que a Walt Disney tentou durante muito tempo manter esta tradição ativa e as suas histórias estão repletas de ensinamentos.

Todos já ouvimos falar dos sete chakras principais no corpo do Homem e da importância de mantê-los em equilíbrio, para podermos viver mais harmoniosamente. Pois então, este é o ensinamento por detrás da Branca de Neve.

Branca de Neve representa o ser iniciado, que nasce na terra. Três mulheres são representadas neste conto, a primeira a sua mãe, que morreu quando ela nasceu, levando com ela todo o passado, todas as lembranças, representa o esquecimento quando descemos a esse plano, o passado. Ela o presente a ser vivido, sua Madrasta o futuro, o desafio, as provas por qual terá que passar. São as três fases da mulher, os três tempos – o passado, o presente e o futuro, a dama, a mãe e a anciã.

Tudo corre bem para Branca de Neve enquanto o espelho vai dizendo à Madrasta que ela é a mais bela do reino, mas um dia o espelho decide dizer-lhe que Branca de Neve é a mais bela. Este momento é o destino de Branca de Neve, é o inevitável que nos acontece, somente para nos colocar no Bom Caminho.

O espelho nada mais é do que a consciência mágica da Madrasta, que à medida que vai vendo Branca de Neve a crescer na sua pureza vai sendo obrigada a constatar a sua fealdade, pois uma das formas de ver quem somos é estando em contato com opostos a nós, nestas situações a nossa personalidade revela-se e somos obrigados a confrontarmo-nos. Se Branca permanecesse no Castelo ao abrigo de seu pai, jamais se tornaria na Mulher em que se tornou.

A Madrasta decide então mandar matar Branca de Neve e como prova exige o seu coração, o local da pureza, onde reside a Verdade de cada um de nós. Mas o caçador não consegue e abandona Branca de Neve na floresta. Então, cria-se o enquadramento necessário para que a nossa princesa aprenda quem é e desperte a sua magia. A floresta é o símbolo da nossa vida, o nosso interior mágico.

No meio da floresta é ajudada pelos animais e vai então descobrir os sete anões, ou o mesmo será dizer os seus centros de energia vital, seus chakras.

chakras e os sete anões

Relacionando-os temos:

O Mestre representa o coronário, ele é o chefe, a consciência espiritual.

O Zangado representa o chakra Frontal, pois ele é racional, se baseia na lógica e no raciocínio, intelecto.

O Feliz representa o laríngeo, é o mais gordinho, tem relação com as glândulas tireoide, é comunicativo, alegre.

O Dengoso representa o cardíaco, é sentimental, emotivo, chorão, apaixonado.

O Soneca representa o chakra Umbilical, representa o inconsciente, instinto primitivo, o sono, emoções inferiores.

Atchim representa o chakra esplênico (sexual), é o chakra responsável pelo filtro das energias nos órgãos sexuais, também responsável pelas alergias, ansiedades.

O Dunga que representa o chakra básico, raiz, representado pela inocência, pelo principio, o menino, o inicio da coluna vertebral, é o chakra dos instintos.

Quando a Madrasta descobre que a princesa não está morta decide ela própria matá-la. Note-se que nesta altura já Branca de Neve é amiga e conhece muito bem os anões, ou seja, já domina o Sete Mágico. O sete é também por excelência o número vibracional da mudança. A Madrasta surge então de bruxa e oferece uma maça envenenada. A maça é símbolo do conhecimento, reparem que é a Madrasta que lhe oferece o conhecimento e lhe proporciona uma morte iniciática.

Os anões a colocam num caixão de vidro, significando que ela está presa em si mesmo.

Surge então o Cavaleiro. O Cavaleiro é sem dúvida a representação do Caminho. Um cavaleiro é um símbolo do Fogo, ele é ação, representando a conquista que Branca de Neve consegue fazer ao dominar os seus sete centros, a conquista da dualidade dentro de si, da sua liberdade deste plano manifestado.

O beijo é o encontro e o reconhecimento da nossa luz e de nossa sombra, e quando isso acontece o SER DESPERTA, ascende, transcende, conquista a si mesmo, levanta, se torna INTEGRAL…

E vive feliz!!!

Grande abraço, Denise Mercer.

Referências:
http://palavrasdoimaginario.blogspot.com/2009/04/simbolos-nos-contos-de-fadas.html em 14/08/2013
http://omapadotesouro.blogspot.com/ em 14/08/2013
http://grimoiredomago.blogspot.com/2009/01/branca-de-neve-e-os-sete-anes.html em 14/08/2013

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s